My 90’s Video Games – Part II (Super Nintendo)

The Mini Super Nintendo was released few weeks ago and again that makes me get nostalgic.

This post is about the games I played as a kid on Super Nintendo.

Super Mario Kart was the main responsible for missing some of school classes. On two players mode is laughs from the beginning to the end of the race. You’ll never know when you gonna win… it can exist an red shell, or an lightning  that hits you a few meters from cross the final line. Today I still play Mario Kart on the Nintendo Switch and sometimes I take it with me for dinners with friends and is always a fun.

mariokart
Super Mario Kart
I like strategic games that involves construction, and the SNES has an master piece called “Sim City“. (Unfortunately this game is not on the Mini SNES).
At that time, having a game that I can build an entire city on my own was a “mind blow”. I think I like this kind of games because of the freedom that provides. Even today, I play Sim City 4! On Sim City you can manage the roads and trains structure, commercial, industrial and residential zones, green zones, growth taxes, provoke disasters, manage traffic… there’s a lot we can do on this game!

Sim City SNES
Sim City
I also played other games, like Super Mario World, F-Zero and Donkey Kong but was Super Mario Kart and Sim City that causes me more impact.

There are lots of games in the Mini SNES that I want to revisit. Right now I’m playing Super Mario World and F-Zero. The conclusion that I get is always the same: there are a few AAA games these days that can not match the game-play and the fun of some of SNES games.

 

O Início

Olá,

Este é o primeiro post do meu novo blog. Neste, pretendo partilhar ideias, tutoriais, opiniões e experiências que tenho tido no mundo das tecnologias. Espero que gostem!

Tenho 31 anos e atualmente trabalho na área das tecnologias da informação, nomeadamente no desenvolvimento de software e consultoria informática.

Foi com 12 ou 13 anos que tive o primeiro computador pessoal em casa. Este já veio obsoleto! O sistema operativo era o Windows 95, e arranjar software (nomeadamente jogos) era uma dificuldade, andavam os meus amigos a trocar os modernos CD-ROM’s e eu “desesperado” por encontrar um jogo que o meu computador conseguisse executar. Internet em casa? só quando fosse maior de idade! – diziam os meus pais. Restava-me assim os espaços públicos para poder “navegar” na internet e “sacar” os desejados mp3 que trazia para casa em meia dúzia de disquetes… Acreditem, na altura colocar um ficheiro de 3 – 4 Mb em disquetes era uma aventura! Havia pelo menos uma que ficava sempre corrompida. Depois era rezar que o media player do windows conseguisse reproduzir os ficheiros. Pois 16Mb de Ram e um processador a 75Mhz já não dava para muita coisa naqueles dias. O disco rígido era enorme: 500Mb! O SO e o Office já me “roubavam” uns 300 Mb, sobram então 200 e é se queres! (Hoje com menos de 1 Gb disponível no telemóvel ficamos logo em stress!)

001
Primeiro Computador

Com estas limitações tinha de me entreter de outra forma. Sem os jogos da moda e sem internet, para um miúdo de 12 anos era desafiante… imaginem hoje dar um computador a um miúdo e ele só poder abrir o Microsoft Word ou o Paint. No entanto, agradeço por ter sido desta forma, se não fossem estas limitações eu não teria ganho curiosidade por outros temas no mundo da informática: como se cria um programa ou uma página internet.

Na altura a suite do Office vinha com um editor de HTML incorporado (Microsoft Frontpage). Comecei inicialmente por fazer páginas estáticas apenas com links entre elas… e sendo um editor WYSIWYG as coisas tornavam-se fáceis. Só mais tarde comecei a ter curiosidade com o HTML. (Uma coisa de cada vez…)
A publicação das páginas? Colocava os ficheiros numa disquete, depois dirigia-me a um espaço público de internet e colocava-os no aeiou ou no sapo. O conteúdo já não me recordo bem, mas devia ser sobre videojogos ou uma simples página pessoal.

2148f
Microsoft Front-Page

Felizmente alguns amigos também estavam a despertar curiosidade no mundo da programação e um deles apresentou-me o QBasic. Foi o primeiro contato com a programação. O que consegui fazer era muito simples, limitava-me a If’s e GOTO’s, mas era o suficiente para fazer um “Quem Quer ser Milionário” ou uma espécie de Livro-Jogo.

QBasic_Opening_Screen
QBasic – Ecrâ Inicial

Era desta forma que dava utilização a um computador já velhinho na altura. Fez-me ganhar mais curiosidade pela área e marcar o início da minha aventura no mundo do IT.